O que você procura?

Prefeitura de Belém promove treinamento para uso da plataforma GLPI destinada ao suporte técnico

• Atualizado há 4 meses ago

Por um gerenciamento otimizado e com mais transparência de demandas e atendimentos técnicos, a Prefeitura de Belém, por meio da Companhia de Tecnologia da Informação de Belém (Cinbesa), iniciará a utilização da plataforma Gestão Livre do Parque de Informática (GLPI).

Na tarde de segunda-feira, 13, a Cinbesa promoveu o treinamento em GLPI para servidores da Secretaria Municipal de Finanças (Sefin), o primeiro órgão que utilizará a plataforma para abrir chamados.

Gerenciamento

A GLPI já é utilizada internamente pela Cinbesa para o gerenciamento de determinadas demandas. Com a nova plataforma, o órgão solicitante poderá visualizar as etapas do atendimento por meio de dashboards (painéis). A comunicação com as equipes de tecnologia da informação e sistemas será mais ágil graças ao chat interativo, e será possível avaliar com uma nota o atendimento.

De acordo com o assessor de inovação tecnológica da Cinbesa, Osman Silva, a implantação iniciará pela Sefin por ter uma grande camada de software e intensa demanda por serviços. Com o bom resultado nos atendimentos, a previsão é que a maioria dos órgãos possa utilizar a plataforma.

“A GLPI reúne em uma única ferramenta as demandas e equipes responsáveis. E gera os dashboards que darão métricas para a gente melhorar atitudes que possam ser tomadas e procedimentos que possam ser implantados, até como sugestão de novos produtos para a Companhia”, afirma o assessor Osman.

Presente ao treinamento, a assessora técnica da Sefin, Hilma Leão, considera que o acompanhamento das demandas pelos usuários da plataforma refletirá, inclusive, no atendimento ao contribuinte.

“A importância é que esperamos ter uma agilidade e a visão de como essa demanda está sendo resolvida. Com a implantação, se melhora a agilidade do servidor da Sefin, consequentemente melhora a prestação desse serviço ao contribuinte, dando mais celeridade às suas solicitações”, argumenta Hilma Leão.

Transparência

Com transparência e precisão, gráficos da plataforma indicam quais departamentos dos órgãos fazem mais chamados e as demandas mais comuns.

“Desse modo, a Cinbesa identificará os problemas mais recorrentes que merecem atenção para que possamos solucionar. O GLPI é uma ferramenta de tomada de decisão efetiva, a partir da coleta de todos os dados de chamadas das secretarias e órgãos, que poderão definir itens e atendimentos prioritários”, considera o assessor de inovação digital da Cinbesa, Mariano Siqueira.

O acesso aos dados e fluxo de demandas também é útil para identificar possíveis demandas reprimidas que poderão ser cobradas. “Isso vai fornecer uma informação precisa do volume de chamados que estamos abrindo, que tem tido retorno e o que tem sido atendido em prazo hábil. Enquanto Sefin, podemos nos organizar para dar um melhor retorno aos servidores e contribuintes”, conclui o assessor do Núcleo de Tecnologia e Informação da Sefin, Raoni Oliveira.

Para a próxima fase da implantação da GLPI, a Sefin definirá um departamento específico para iniciar a utilização. Haverá um dia de teste coordenado pela Cinbesa para o recebimento de chamados e atendimentos.

Texto: Lucas Damasceno (ASCOM CINBESA)

Colaboração: Lucas Maciel (ASCOM SEFIN)

Veja também

Skip to content