Consulta pública para licitação do transporte registra mais de 370 acessos nas primeiras horas no ar

• Atualizado há 3 semanas ago

A Prefeitura de Belém, por meio da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob), colocou no ar, na madrugada de sexta-feira, 27 de maio, a consulta pública sobre o edital de licitação do transporte público coletivo por ônibus da cidade.

O endereço para acessar a consulta pública é https://semob.belem.pa.gov.br/consultapublica. Durante a manhã, logo nas primeiras horas, o site recebeu mais de 370 acessos. Tudo dentro da normalidade.

Estatísticas iniciais – “Ao longo da manhã do primeiro dia de disponibilização ao público, o site registrou, em média, o acesso de 200 usuários simultâneos. Dentre estes, é possível indicar que 70% acessaram pelo celular e 30% por computadores”, contou o gerente de projetos da Cinbesa, Mariano Siqueira.

Além do número crescente de acessos ao longo do dia, o volume de contribuições dos cidadãos, que começou tímido com apenas oito sugestões enviadas, também teve um aumento no início da tarde e somente no primeiro dia contabilizou mais de 90 envios de contribuições ao edital.

Experiência do usuário – O site foi desenvolvido para tornar a navegação mais simples, rápida e prática para os cidadãos. Nele, é possível encontrar informações a respeito do período para envio de contribuições, conhecer um pouco sobre o processo de licitação e ainda ter acesso à apresentação do projeto básico do sistema BRT e a todos os arquivos e anexos do edital, os quais o usuário pode realizar o download.

Para enviar sua sugestão ou dúvida e receber resposta, o cidadão deve preencher o formulário que se encontra no final do site da consulta pública, onde precisará informar seu nome, e-mail para contato, selecionar o bairro onde mora, escolher o item sobre o qual quer fazer um comentário e deixar sua mensagem.

Trabalho em conjunto – O site da consulta pública que embasará o edital de licitação do transporte público por ônibus de Belém foi desenvolvido ao longo de um mês, em conjunto com a equipe de sistemas da Companhia de Tecnologia da Informação de Belém (Cinbesa), para apresentar um resultado que satisfizesse às recomendações necessárias e às solicitações da Semob.

“Não há registro de interrupção de nenhum desses serviços. A Cinbesa segue monitorando os acessos e está disponível para sanar qualquer dúvida ou prestar esclarecimentos sobre o projeto”, destaca o gerente de projetos.

Texto: Leonardo Fernandes

Colaboração: Lucas Damasceno

Veja também

Skip to content