Alunos e comunidade de Outeiro serão beneficiados com fibra óptica na Escola Bosque

• Atualizado há 6 meses ago

Após 26 anos de criação, a Fundação Escola Bosque (Funbosque) passará por uma verdadeira revolução digital. A Prefeitura de Belém, por meio da parceria entre Funbosque e Companhia de Tecnologia da Informação de Belém (Cinbesa), começou a implantar cerca de mil metros de cabos de fibra óptica interna na instituição. A ação beneficiará tanto os 2.700 alunos e professores, quanto os cerca de 120 mil habitantes da Ilha de Outeiro.

Segundo o presidente da Funbosque, Alickson Lopes, o investimento da primeira fase, que começou em 23 de maio de 2022, foi de R$ 150 mil, com a implantação da fibra óptica via cabeamento por dutos e caixas de passagem subterrâneas. A iniciativa representa a entrada da Funbosque no século XXI com uma visão totalmente voltada para a melhoria das condições de vida e de oportunidades para a população das ilhas de Belém.

“Esta ação está articulada diretamente a outras ações de suma importância para a melhoria do ensino-aprendizagem na região insular de Belém, como a Plataforma Poraquê, de apoio ao ensino remoto, também desenvolvida em parceria com a Cinbesa, e o Projeto Mapeo, de governança territorial, orientada a dados da região insular” esclarece Lopes.

Ele ressalta que a fibra permitirá informatização de todos os processos administrativos da sede e demais unidades pedagógicas. Assim como a graduação em Geoprocessamento ofertada na Funbosque.

Planejamento desde 2021

Durante o início da atual gestão houve uma reunião inicial entre o presidente da Funbosque, Alickson Lopes e o presidente da Cinbesa, Bruno Batista. Em maio de 2021, um grupo coordenado pelo assessor de tecnologia da informação da Fundação, Jader Gama, e pelo diretor de tecnologia da informação e comunicação (DTI) da Companhia, Jun Hamaguchi, iniciou a elaboração do projeto de infraestrutura da rede lógica interna por parte das equipes de conectividade e de suporte da Cinbesa, tendo em vista as particularidades do terreno da Funbosque e os objetivos desejados.

Segundo o diretor de TI da Cinbesa, Jun Hamaguchi, a Funbosque solicitou a realização de estudo de viabilidade para implantar fibra óptica no local. Na visita técnica, a equipe da Companhia constatou a situação do cabeamento de rede lógica interna, até onde ele chegava e qual o trajeto do link que possibilita acesso à internet.

“A visita foi determinante para a abordagem da fibra óptica, qual seria o local de sua entrada e o ponto a partir do qual a fibra seria distribuída pra toda a Escola. Com essa visita, começamos o estudo de viabilidade para identificar as condições para a implantação”, afirma Jun.

A Cinbesa elaborou o projeto de infraestrutura, aprovado pela Funbosque, e uma empresa foi contratada para a execução do serviço. A internet disponível em Outeiro é fornecida via antena de rádio e distribuída pela Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa). A Cinbesa é responsável por levar a fibra óptica externa até o ponto de administração da Funbosque, que distribuirá o acesso à internet na instituição. Com a Funbosque, o total de fibra óptica implantada e sob responsabilidade da Cinbesa na Região Metropolitana de Belém chegará a aproximadamente 180 km.

Transformação – Segundo o assessor de tecnologia da informação da Funbosque, Jader Gama, a estrutura lógica de internet que está sendo implantada é a base para a Incubadora Educativa de Tecnologias e Saberes Socioambientais da Funbosque. A Fundação trabalhará com coleta de dados, biocombustores e geoprocessamento, fortalecendo nos alunos uma mentalidade empreendedora, que começa a se materializar graças à simbiose entre Funbosque e Cinbesa, uma coesão da gestão municipal que tem planejada a geração de emprego e renda a partir das questões ambiental e tecnológica.

“Detectamos que muitos alunos da instituição se formam em técnico em gestão ambiental, pois não estava ocorrendo a ligação das questões ambiental e tecnológica. Nesse sentido, a chegada da fibra óptica é um projeto revolucionário, pois está sendo feito numa área distante do centro de Belém. E, além disso, possibilitando a instalação de 45 computadores novos num laboratório que servirá não apenas aos cursos, mas também para o letramento digital com acesso livre à comunidade”, destaca Jader.

A Cinbesa também tem papel relevante por elaborar, configurar, implantar e manter os servidores de rede e o sistema de banco de dados da Prefeitura de Belém, assim como prover a sua segurança. Jader Gama explica que o uso de dados pode gerar políticas públicas que atendam à comunidade.

“No ano passado, a Funbosque fez um trabalho de Georreferenciamento dos poços existentes em Outeiro e comprovou, a partir da análise clínica, o alto índice de bactérias das amostras de águas coletadas. Os dados das coletas foram então cruzados com o número de atendimentos dos postos de saúde da ilha, sendo 72% deles relativos a problemas relacionados ao consumo da água”.

Então, “você tem um dado que possibilita avanços em políticas públicas orientadas para a resolução dessa situação. Uma ideia que surgiu foi a do filtro ecológico, feito à base de carvão ativado. Isso mostra que a questão tecnológica possibilitará a coleta e armazenamento de dados que se transformem em conhecimento, modificando a realidade local”, afirma Gama.

Nesse sentido, Jader Gama reforça que a Cinbesa tem importância estratégica para transformar a vida da comunidade de Outeiro, e, em âmbito municipal, deve ser uma instituição altamente modernizada por manter o banco de dados da Prefeitura Municipal de Belém.

Além da alta velocidade de conexão, a implantação da fibra óptica na Funbosque, a partir do projeto da Cinbesa, também promoverá uma economia gigantesca, pelo fato da fibra não sofrer ações das descargas elétricas atmosféricas, não causando interferência na rede nem transmissão de corrente elétrica, proporcionando maior durabilidade dos equipamentos conectados. Por fim, a digitalização propiciada economizará papel utilizado em âmbito educativo e nas atividades administrativas. A conclusão da implantação é prevista para fins de junho de 2022.

Texto: Lucas Damasceno

Colaboração: Amanda Cardoso

Veja também

Nova plataforma da Prefeitura dá acesso a serviços municipais de forma mais rápida e transparente

Desde a última terça-feira, 1º de novembro, os serviços oferecidos pela Prefeitura de Belém por meio de suas secretarias, estão disponíveis no site Agiliza Belém de forma mais acessível, simples e transparente.
A nova plataforma oferece a carta de serviços da Prefeitura reunindo os serviços oferecidos pelos órgãos municipais à população de Belém, com o objetivo de reduzir o deslocamento dos cidadãos aos órgãos públicos, oferecer mais agilidade e padrão de qualidade no atendimento às demandas pelas atividades desenvolvidas pelo município.

Saiba mais »
Skip to content