Ações sociais da Prefeitura de Belém têm acesso à internet garantido pela Cinbesa

• Atualizado há 3 semanas ago
Ações sociais da Prefeitura de Belém, como as da Semob, têm acesso à internet garantido pela Cinbesa. Foto: Ascom Semob

A Companhia de Tecnologia da Informação de Belém (Cinbesa) recebe frequentemente solicitações para garantir o acesso à internet em ações da Prefeitura Municipal de Belém, realizadas por meio de suas secretarias e órgãos. O diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação da Cinbesa, Jun Hamaguchi, afirma que “a garantia de acesso à internet às ações sociais é fruto de estudos de viabilidade executados pela equipe técnica da Cinbesa, quando é definida a abordagem a ser usada para o acesso.”

No mês de junho, a Cinbesa já esteve presente à ação integrada da Semob realizada no último sábado, dia 11, no Centro Comunitário das Castanheiras, no bairro Curió-Utinga. E no dia 25 de junho, participará da ação que ocorrerá no Centro Comunitário da Praça Isa Cunha, na Pratinha entre 8h e 12h.

Anteriormente, em 28 de maio, a Companhia esteve presente em duas ações sociais:

Comunidade LGBTQIA+ A Companhia garantiu o acesso à internet em ação social voltada à comunidade LGBTQIA+, promovida pela Prefeitura Municipal de Belém, por meio da Coordenadoria de Diversidade Sexual (CDS) com apoio da Secretaria Extraordinária de Cidadania e Direitos Humanos (SecDH), a partir de demanda do Ministério Público do Pará (MPPA). O evento aludiu ao Dia Internacional de Combate à LGBTIFobia, celebrado em 17 de maio, e ocorreu no “Espaço Cultural Mestre 70”, no Guamá, das 8h às 13h.

Segundo a Coordenadora-Adjunta da Coordenadoria de Diversidade Sexual (CDS), Cassandra Bonifácio, a ação social teve “o objetivo de garantir serviços básicos, tais como emissão de documentação, orientação jurídica e cadastro para programas da Prefeitura, garantindo direitos a uma população vulnerabilizada em pleno mês de combate à LGBTIfobia.”

Durante o evento, a internet foi fundamental porque a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (SejuDH) e a Polícia Civil emitiram RGs incluindo o nome social para travestis, transexuais e pessoas não-binárias. A internet também foi necessária em ações de âmbito jurídico realizadas pelo Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), Ordem dos Advogados do Brasil – seção Pará (OAB-PA) e Defensoria Pública do Estado (DPE). A Fundação Papa João XXIII (Funpapa) forneceu informações sobre o CadÚnico e a Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel) realizou o cadastramento da população LGBTI artística.

Cassandra considera “fundamental o serviço da Prefeitura de Belém, por meio da Cinbesa, de estruturar o ‘Espaço Mestre 70’, garantindo acesso à internet para o sucesso e efetivação da programação.”

Maio Amarelo – A Companhia de Tecnologia da Informação de Belém também participou das ações alusivas ao Maio Amarelo desenvolvidas pela Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob), que teve apoio das secretarias municipais de Saúde (Sesma), Saneamento (Sesan), Economia (Secon), além da Fundação Papa João XXIII (Funpapa), Coordenadoria Antirracista (Coant), e participação da Ordem dos Advogados do Brasil, seção Pará (OAB-PA).

Em 21 de maio, a garantia de acesso à internet ocorreu no Complexo da Praça das Castanheiras, no Curió-Utinga, possibilitando à Semob receber recursos de defesa de autuação ou penalidade de trânsito, além da impressão de boletos de pagamentos de multa. Continuando a ação do Maio Amarelo, no sábado seguinte, 28 de maio, a Cinbesa garantiu o acesso à internet no Centro Comunitário da Praça Isa Cunha, na Pratinha.

Veja também

Skip to content